5 razões para começar a surfar

5 razões para começar a surfar

Com mais de 850 km de costa repleta de arribas, temos a sorte de viver num país que oferece uma quantidade incrível de praias totalmente propícias à prática do surf.

Embora a Nazaré tenha colocado Portugal no mapa mundial do surf de ondas gigantes em 2010 com incríveis fotografias que deram a volta ao mundo, Portugal já representa uma importante região do surf Europeu há várias décadas. O país tem vindo a estruturar-se ao longo dos anos com shapers e surfistas mundialmente reconhecidos e escolas de surf prontas a dar-lhe as boas vindas.

Agora é a tua vez de experimentar!
 
1. A oportunidade de viajar
A costa portuguesa está cheia de spots perfeitos para começar a surfar. Quer seja no Norte, Lisboa e Centro, Alentejo, Algarve, Madeira e Açores, não faltam ondas para todos os níveis de aprendizagem. Levamos-te aos melhores locais que combinam diversão e descoberta.
 
A Península de Peniche é um dos locais em Portugal onde se pode surfar durante todo o ano, independentemente das condições. Há sempre uma onda que funciona nesta costa. Tornou-se um destino de sonho para surfistas de todo o mundo – especialmente desde que o WCT chegou à Supertubos – e é um lugar onde todos os amantes do surf podem encontrar-se e divertir-se. Quer venhas em busca do tubo da tua vida ou da tua primeira espuma, não vais sentir-te desapontado.

Praia da Baleal, perfeita para apprender com segurança

Se precisares de uma prancha de surf, um fato de surf, uma prancha de bodyboard ou qualquer outro equipamento de surf, encontrarás lojas de surf ao longo das praias onde poderás alugar o teu esquipamento.


Para começar a tua prática de surf escolhe a baía do Baleal ou a Prainha junto à Lagide. Para os mais experientes a praia de Supertubos, tendo em conta a possibilidade de poderes partir a tua prancha com alguma facilidade. Ao longo da costa oeste existem muitas outras praias menos crowded a descobrir e onde podes também encontrar excelentes ondas.

O mar, omnipresente na Ericeira.



Com os seus 8 kms de costa, a Ericeira faz parte da World Surfing Reservegraças aos muitos spots de surf mundialmente famosos.

Casa de Tiago “Saca” Pires, a Ericeira é sobretudo uma pequena vila piscatória que, apesar do seu turismo, tem mantido a sua identidade, autenticidade e encanto. Perdes-te nas ruelas da cidade entre as surfshops e restaurantes com o mar omnipresente é um prazer incomparável. Ao percorreres a costa encontrará praias maravilhosas com ondas para todos os níveis de prática do surf.

Especialistas à procura de grandes barrels frequentam a praia de Coxos, considerada a melhor onda em Portugal, ou os mais audazes a Cave.

Ribeira d’Ilhas, Ericeira



A icónica Ribeira d’Ilhas e a sua direita é mais acessível mas tem cuidado com as condições, tenta informar-te na escola de surf das correntes. Estas podem ser muito fortes especialmente com a maré alta.

Outras praias como a Foz do Lizandroou Praia do Matadouro são boas opções para principiantes.

2. Surfar é bom para a tua saúde

O surf é um dos desportos mais completos e que tem mais benefícios para a tua saúde física e mental. Estar sozinho na água, libertar a tua cabeça e não pensar em mais nada senão naquele momento de apanhar uma boa onda e estar na posição correcta para aproveitá-la da melhor forma. O Carpe Diem do surf é um convite para que aproveites o tempo presente, usufruindo os momentos na água intensamente sem te preocupares muito no que fora dela te preocupa. Basta estar dentro de água com nossa prancha de surf e deixamos os nossos problema para trás durante a sessão.
 
O que poderá ser mais agradável do que trabalhar e fortalecer todos os nossos músculos enquanto nos divertimos no oceano? Sim o Surf sendo um desporto praticado no oceano, é a força da água que enfrentamos e com ela que trabalhamos quase todos os músculos, ossos e tendões. Em cada sessão podemos queimar cerca de 200 a 400 calorias por hora de treino, tonificando o corpo e aumentando a nossa resistência. Sendo a água de Portugal geralmente mais fria, este fator está igualmente associado ao desaparecimento de gorduras acumuladas. A diminuição da nossa temperatura corporal obriga a um maior gasto energético para que o nosso corpo se mantenha quente. Todos este factores contribuem também para a prevenção de lesões nas articulações. 
 
Para além disso a água salgada contem cloreto de sódio, magnésio e cálcio, desimpedindo os canais respiratórios e tendo efeitos positivos nos pulmões. Estes factores contribuem para a redução do risco de doenças respiratórias como a sinusite ou a asma. Durante os treinos, o surfista tem de controlar constantemente a inspiração e expiração, tanto fora de água, devido à exigência e energia requerida, como dentro dela, uma vez que existe a possibilidade de estares em apneia durante algum tempo após a queda da prancha, exercício que ajuda a desenvolver um sistema respiratório mais forte.
 
O surf é então benéfico para muitos factores do nosso bem-estar:
Maior gestão de stress e maior relaxamento;
Melhora a coordenação motora e o nosso equilíbrio corporal;
Melhora o sistema respiratório e a forma como executamos a respiração;
Aumenta a tua cultura e conhecimento sobre o Oceano (marés, ventos, ondulações, correntes);
Contacto direto e frequente com a Natureza: com a força e energia do imenso e poderoso Oceano.
 
Do que estás à espera para experimentar?

3. A sensação de deslizar na onda, de pertença a uma comunidade.
 
Assim que conseguires deslizar na tua primeira onda perceberás.
Não importa se tens uma longboard, SUP, bodyboard, shortboard, fish ou malibu, a felicidade está no sentires sobre os teus pés a energia do oceano.

Não interessa se és um iniciante e se cais em todas as tentativas de te colocares em pé em cima da prancha ou se és um profissional e cair é a última coisa que acontece em cada onda, o que importa é o sentimento desta experiência, de estarmos sozinhos com a nossa prancha mas unidos pela energia de cada onda que o oceano nos concebe.
A visão que cada um temos de surfar é diferente, aquilo que exigimos de cada um de nós na água é diferente, a experiência que temos de cada sessão é única e pessoal mas o amor por toda a cultura do surf e do desconhecido oceano é algo que pode ser partilhado com quem faz parte desta comunidade, e é nesta partilha que crescemos como seres humanos e aprendemos a respeitar mais a natureza, tudo e todos aqueles que nos rodeiam.
4. Muitas escolas de surf em Portugal.
Existem escolas muito boas só tens de escolher!


A economia do surf está a desenvolver-se cada vez mais em Portugal, e as escolas de surf contribuem muito para esse factor. Encontrarás muitas escolas de surf que te acompanharão nas tuas primeiras ondas e que te ensinarão o básico, as regras de segurança e dar-te-ão as dicas cruciais para conseguires colocar-te de pé na tua prancha de surf e deslizares nas ondas até à praia.
 
As escolas fornecem-te todo o equipamento de surf, quer seja a prancha, a leash ou os fatos de mergulho. Considerando o elevado custo de alugar uma prancha em Portugal (em média 15-20 euros por 2 horas ), uma sessão de grupo irá certamente custar-te um pouco mais (cerca de 30 euros) mas irá poupar-te longas horas de confusão.
 
Confia nos profissionais, escolhe as melhores escolas e desafia-te a ti mesmo na praia! Dá mais que um simples mergulho!

 
fonte: borasurfar.pt